Colômbia ameaça cancelar negociações com as Farc

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, ameaçou terminar o processo de paz que o governo negocia há quase dois anos com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. "Isso é o que nós estamos dizendo a vocês: se continuarem com isso, estarão brincando com fogo e este processo pode terminar", alertou.

AE, Agência Estado

30 Julho 2014 | 00h41

O presidente se referiu a uma série de acontecimentos recentes envolvendo as Farc. As autoridades colombianas atribuem ao grupo uma série de derramamentos de petróleo na fronteira com Equador, sendo que no último ataque, na sexta-feira da semana passada, 8.600 barris de petróleo foram derramados perto do município de Porto Asís, segundo o prefeito Jorge Coral. Ele disse que aproximadamente 100 mil pessoas foram afetadas e estão sem água. Já na segunda-feira, membros da Farc são suspeitos de atacar uma torre de energia na cidade de Buenaventura, deixando mais de 400 mil moradores sem luz.

Santos também lembrou de um ataque nos últimos dias a um aqueduto no departamento de Meta, deixando a população sem água. "Esse é um ato de terrorismo totalmente condenável", afirmou. "Não podemos seguir indefinidamente nesta situação, porque o povo colombiano se confunde e não entende", acrescentou, em ato público na cidade de Palmira.

O governo da Colômbia negocia com as Farc em Cuba desde o fim de 2012, tentando por fim a 50 anos de confrontos entre as duas partes. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Colômbia farc negociações

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.