Colômbia confirma destituição do prefeito de Bogotá

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, ignorou uma medida da Comissão Interamericana de Direitos Humanos e ratificou a destituição do prefeito de Bogotá, Gustavo Petro. Rafael Pardo, ministro do Trabalho, assumirá interinamente a prefeitura de Bogotá.

AE, Agência Estado

20 de março de 2014 | 01h05

Ontem, o Conselho de Estado da Colômbia havia decidido contra a permanência de Petro por 15 votos a 8. Com isso, o ex-prefeito só continuaria no cargo com uma medida cautelar da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, mas Santos afirmou hoje que não acataria essa medida porque o sistema judicial colombiano já julgou mais de 300 demandas relacionadas ao caso.

Petro militou no grupo guerrilheiro agora pacificado Movimento 19 de Abril (M-19). O imbróglio teve início em dezembro de 2013, quando a procuradoria geral destituiu o prefeito e o proibiu de permanecer na política por 15 anos devido à decisão de mudar por decreto o sistema de coleta de lixo na capital colombiana. A medida foi considerada pela procuradoria uma falta gravíssima contra o livre empreendimento e a concorrência. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Colômbiabogotá

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.