Colômbia decide levar Beira-Mar a julgamento

A Promotoria colombiana decidiu, nesta quarta-feira, levar otraficante Luís Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, ajulgamento. O criminoso brasileiro foi detido no país há um ano,graças às investigações da Operação Gato Negro.Acusado de ser um dos principais narcotraficantes da Américado Sul e de ser sócio dos guerrilheiros das Forças ArmadasRevolucionárias da Colômbia (Farc), Beira-Mar foi extraditado eestá preso no Brasil. A transferência ocorreu porque, na época,não havia acusação contra o traficante na Justiça colombiana.Durante a operação, no entanto, foram encontrados documentosque, segundo o Exército do país, demonstram os vínculos entre ocartel de drogas dirigido pelo brasileiro e as Farc. O contatode Beira-Mar com a guerrilha seria Tomás Molina, o Negro Acácio,chefe da frente número 16 das Farc.Entre os documentos estão evidências de que o brasileiroentregava armas para a guerrilha em troca de carregamentos decocaína. As provas contra Beira-Mar só foram vistas depois que otraficante já havia sido mandado para o Brasil.Nesta quarta-feira, o promotor responsável pelo caso concluiu que ocriminoso deve ser julgado pela Justiça colombiana por tráfico efalsidade ideológica. A promotoria também vai levar a júri LuísAlberto García, o Franklin, o segundo da frente 16 das Farc,atrás apenas de Negro Acácio.O mesmo ocorrerá com Néstor Sánchez, Salvador Velásquez e LuisCañas, integrantes do grupo guerrilheiro. Recentemente, osEstados Unidos pediram a extradição de Negro Acácio, que seriajulgado por narcotráfico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.