Colômbia descobre rede de tráfico de drogas ligada às Farc

14 pessoas foram presas, entre elas traficante internacional acusado de vínculo com cartel do México

AE-AP, Agência Estado

28 de abril de 2010 | 17h41

A polícia colombiana anunciou nesta quarta-feira, 28, a captura de 14 pessoas supostamente ligadas a uma rede de tráfico de drogas a serviço das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

 

Entre os detidos, está o traficante internacional Jonás de Jesús Rincón, conhecido como "Juan", acusado de vínculo com o mexicano Mario Sánchez Zabaleta, "líder militar do grupo criminal de Urabá, união dos cartéis de Juárez, no México, e Los Blanco, de Honduras", segundo comunicado policial.

O diretor de polícia, general Rafael Parra, explicou que a droga "produzida nos laboratórios em regiões sob controle das Farc, principalmente no departamento de Caquetá (sul do país), seguia por via terrestre e aérea até Tumaco (departamento de Nariño, cerca de 600 km ao sudeste de Bogotá) e para o golfo de Urabá." Como troca pela droga, os rebeldes das Farc recebiam armas, de acordo com o comunicado policial.

A polícia diz também que, para o tráfico da cocaína, o grupo utilizava lanchas rápidas em alto-mar e a colaboração de traficantes de Urabá, que se encarregavam de colocar a droga em embarcações em vários portos dessa região da Colômbia.

O general Rafael Parra acrescentou que as reuniões dos traficantes e a intermediação das Farc ocorriam no Panamá, onde um dos detidos "supervisionava o trânsito do contrabando (de cocaína) e avisava sobre a presença de controle nos cais". O oficial disse também que o grupo traficava entre uma e duas toneladas de cocaína por mês.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaFarctráficoprisõesarmas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.