Colômbia descobre sala de espionagem em Bogotá

Local servia para interceptar e-mails do presidente Santos e negociadores das Farc, disse Procuradoria

O Estado de S.Paulo,

06 Maio 2014 | 17h53

BOGOTÁ - Autoridades colombianas descobriram nesta terça-feira, 6, em Bogotá, uma sala de espionagem ilegal que funcionaria para interceptar e-mails do presidente Juan Manuel Santos e de guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) envolvidos nas negociações de paz, informou a Procuradoria do país.

Segundo o procurador-geral Luis Eduardo Montealegre, o centro de espionagem era operado por um engenheiro que aparentemente não tinha relação com instituições do Estado e pretendia vender os dados, obtidos de forma ilegal. "Se trata de um engenheiro que tinha como objetivo interferir no processo de paz e negociar com as informações."

A procuradoria também investiga se e-mails de Santos foram interceptados. "Trabalhamos com essa hipótese. A partir de importantes indícios podemos supor que, por meio desta sala, foi possível interceptar e-mails do presidente da República", explicou Montealegre.

O procurador disse que no local foram interceptados e-mails do chefe de imprensa das Farc em Havana - onde ocorrem as negociações de paz - e de jornalistas cubanos que trabalham na cobertura das negociações. "Temos dados da interceptação de um e-mail institucional do governo nacional e de e-mails de dois jornalistas cubanos de Havana."

Na operação desta terça, os agentes prenderam Andrés Fernando Sepúlveda, acusado de espionagem e intercepção de dados.

Em fevereiro, a Procuradoria havia descoberto um centro de escutas ilegais da inteligência militar, de onde foram espionados negociadores do governo e jornalistas. O caso resultou na demissão de dois militares de alto escalão do Exército.

Uma investigação interna das Forças Armadas descartou irregularidades na operação e o caso segue sendo investigado./ AP e EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.