Colômbia diz que luta contra cocaína não fracassou

O Governo colombiano rejeitou nesta segunda-feira um relatório do jornal "The New York Times", que assinala que o Plano Colômbia fracassou, apesar dos milionários investimentos dos Estados Unidos para erradicar os cultivos ilícitos no país.O jornal afirma que nos últimos sete anos, os Estados Unidos investiram um total de US$ 4,7 trilhões em sua luta contra as drogas na Colômbia, que não surtiu efeito.As afirmações da publicação americana provocaram respostas duras, como a do ministro do Interior e Justiça da Colômbia, Sabas Pretelt de la Vega, que afirmou, em declarações à rádio "RCN", que 170 mil hectares de plantação de cocaína foram queimadas no país."Se não tivéssemos feito isso, o país deles, os Estados Unidos, além da Europa, estariam, literalmente, inundados de coca", afirmou. Segundo o ministro, nos últimos anos a Colômbia queimou 132 mil hectares de plantações ilegais e destruiu outros 38 mil manualmente, elevando o número total para 170 mil hectares.Além disso, Vega lembrou que, em 2000, a Colômbia tinha 167 mil hectares de cultivos ilícitos e que atualmente este número foi reduzido à metade, graças a "um sacrifício gigantesco". Segundo o ministro, sua pasta assinou 502 resoluções de extradição, número nunca antes atingido, e que demonstra a vontade colombiana de combater o narcotráfico.Vega afirmou também que nenhum país do mundo expropriou tantos bens adquiridos com dinheiro ilícito. "Apreendemos 3.659 casas e apartamentos que tiramos da máfia e dos Terroristas". O ministro concluiu afirmando que "nenhum país mostrou os resultados que mostrou Álvaro Uribe nestes quatro anos na luta contra o narcotráfico".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.