Colômbia e Venezuela abrem discussão de pacto comercial

Primeira das seis rodadas de negociações do acordo acontece nessa semana e é parte da retomada das relações diplomáticas

AP e AFP, O Estado de S.Paulo

09 de novembro de 2010 | 00h00

CARACAS

Delegações de Venezuela e Colômbia reúnem-se hoje para iniciar as negociações de um acordo comercial bilateral entre os dois países. O encontro é o primeiro passo após o compromisso assumido pelos presidentes Hugo Chávez e Juan Manuel Santos de retomar as relações entre os dois países. O pacto comercial deve ser assinado em abril.

Caracas e Bogotá devem fazer seis rodadas de negociações, a primeira nesta semana, para acertar os detalhes do acordo. Chávez e Santos ainda concordaram em se encontrar a cada três meses. No fim de semana, o presidente colombiano chegou a dizer que o venezuelano é o seu "novo melhor amigo".

O comércio entre os dois países chegou a US$ 7 bilhões em 2008, mas foi reduzido drasticamente após as sucessivas crises diplomáticas entre Chávez e o ex-presidente colombiano Álvaro Uribe. As exportações colombianas para a Venezuela se reduziram 71% entre janeiro e agosto, e a balança comercial entre os dois países deve chegar a apenas US$ 1.800 bilhões.

Santos afirmou que além da retomada do comércio bilateral, os dois países planejam obras de infraestrutura conjuntas. Segundo o presidente colombiano, os vizinhos já iniciaram colaborações na área de segurança, citando um exemplo do sequestro de uma venezuelana na fronteira por um dos grupos guerrilheiros colombianos, o Exército de Libertação Nacional (ELN). "Após um chamado da Colômbia, autoridades venezuelanas reagiram imediatamente e libertaram a mulher", afirmou.

Em agosto, os dois presidentes acertaram a criação de cinco comissões bilaterais para tratar dos principais problemas entre Caracas e Bogotá - além do acordo comercial, o pagamento da dívida de Caracas, segurança na fronteira, infraestrutura e investimento social. Os empresários venezuelanos devem cerca de US$ 800 milhões aos colombianos, pagamento que é renegociado pelos dois países.

A Venezuela era o segundo maior parceiro comercial até o congelamento das relações com a Colômbia em julho do ano passado. Segundo a imprensa colombiana, os empresários do país não estão otimistas na retomada das exportações para a Venezuela, principalmente por causa da crise econômica que atinge o governo chavista. O país é o único em recessão na América Latina, e estimativas apontam que o PIB venezuelano cairá cerca de 2,5% neste ano.

PRINCIPAIS CRISES

2004

Guerrilheiro Rodrigo Granda é sequestrado em Caracas

2009

Anúncio de base dos EUA na Colômbia agrava crise

2010

Denúncia de presença das Farc na Venezuela faz Chávez cancelar ida à posse de Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.