Colômbia estuda 'estado de exceção' devido a chuvas

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, anunciou hoje que o governo estuda declarar algum tipo de "estado de exceção" se prosseguirem as fortes chuvas que caem em várias regiões do país e, segundo estimativas, podem atingir 2 milhões de pessoas. As chuvas e enchentes já causaram 176 mortes e "mais de 1,5 milhão de pessoas foram afetadas, 1.821 casas e edificações foram destruídas e 256.083 estão parcialmente destruídas", disse César Ureña, subdiretor de socorro regional da Cruz Vermelha da Colômbia.

AE, Agência Estado

05 de dezembro de 2010 | 21h31

"A tragédia que vivemos em todo o país não tem precedentes na nossa história", disse Santos à imprensa na cidade de Barranquilla, após ter sobrevoado regiões alagadas na região costeira do Caribe colombiano, devastadas pelas chuvas. O embaixador dos Estados unidos na Colômbia, Michael McKinley, anunciou uma doação inicial de US$ 300 mil para 2,2 mil famílias, das 316.207 afetadas pelas chuvas. As chuvas também atingem a Venezuela, principalmente estados do leste do país. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaenchentemortesCruz Vermelha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.