Colômbia expulsa ex-primeiro-ministro de Kosovo

A polícia secreta da Colômbia anunciou hoje a expulsão do ex-primeiro-ministro kosovar Agim Ceku, contra o qual pesa um mandado internacional de prisão expedido pela Interpol por supostos crimes de guerra. Felipe Muñoz, diretor do Departamento Administrativo de Segurança (DAS, a polícia secreta colombiana), disse por telefone à "Associated Press" que Ceku foi mandado para Paris na noite de ontem em um voo da Air France. Ele esteve na Colômbia para participar do primeiro Congresso Internacional de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração, realizado de 4 a 6 de maio em Cartagena, cerca de 650 quilômetros ao norte de Bogotá.

AE-AP, Agencia Estado

07 de maio de 2009 | 16h32

A aeronave faria escala na capital francesa antes de chegar a seu destino final, Zagreb, a capital da Croácia.

Muñoz acrescentou que "não há nada de espetacular" com a expulsão. "Ele foi informado de que devia ser expulso, foi a Bogotá e entrou num avião. Ele pensava em ficar na Colômbia até o fim de semana", comentou.

"Isso nada mais é do que outra tentativa de desbaratar Kosovo como Estado e de me pintar como criminoso de guerra", disse Ceku, de Paris, em conversa por telefone com a AP. "Fui um herói na conferência", assegurou. "As pessoas fizeram fila para tirar fotos comigo e isso incomodou a Sérvia", disse.

Muñoz disse que Ceku chegou à Colômbia no dia 3 e que, até aquele momento, havia apenas "um pedido de informação por parte da Interpol". A ordem de expulsão foi emitida somente ontem, depois que autoridades sérvias solicitaram a captura de Ceku. O ex-primeiro-ministro de Kosovo é acusado de ter perpetrado crimes de guerra em 1999, quando era comandante do Exército de Libertação de Kosovo (ELK) em meio à dissolução da Iugoslávia.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaKosovoAgim Ceku

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.