Colômbia extradita equatoriano que tentou matar americano

A governo da Colômbia extraditou o equatoriano Jairo Motta Vargas, acusado da tentativa de assassinato de um agente federal americano, aos Estados Unidos, segundo informou nesta sexta-feira, 6, o Departamento de Justiça. Motta Vargas chegou a Miami na quarta-feira, 4, e foi trasladado na quinta-feira a Washington, onde será julgado. Caso condenado, ele pode pegar até 20 anos de prisão.O equatoriano é supostamente membro de uma organização de narcotráfico com sede em Quito, segundo informou o Departamento de Justiça em comunicado. Em 1999, a Polícia apreendeu, em Londres, 20 quilos de heroína que supostamente pertenciam a essa organização, que o governo dos EUA não identificou.Em resposta, Motta Vargas tentou matar, em Quito, um agente do Departamento Americano Antidroga (DEA) que ele achava que tinha sido o responsável por essa apreensão. Segundo o Departamento de Justiça, o acusado disparou três vezes com uma pistola semi-automática contra o agente, que estava dentro de um automóvel.A Polícia equatoriana deteve Motta Vargas alguns dias depois. O equatoriano foi condenado a seis anos na prisão. Após cumprir sua pena foi enviado à Colômbia, cujo governo concedeu a extradição aos EUA em 23 de março, segundo o comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.