Colômbia fecha fronteira com Equador em apoio a Correa

A Colômbia decidiu fechar a fronteira com o Equador em sinal de apoio ao presidente do país vizinho, Rafael Correa, afirmou o presidente colombiano, Juan Manuel Santos. "Nós condenamos de maneira forte, clara e direta a tentativa de golpe que está acontecendo no Equador e oferecemos o nosso apoio total ao presidente Correa, que foi eleito pelo povo equatoriano", disse Santos, enquanto se encaminhava para uma reunião de emergência da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) na Argentina, em que será discutida a situação equatoriana.

AE, Agência Estado

30 de setembro de 2010 | 19h23

Santos acrescentou que conversou diretamente com Correa e expressou "total apoio e solidariedade" ao presidente equatoriano. A medida da Colômbia de fechar a fronteira já havia sido tomada pelo presidente do Peru, Alan García, logo após o governo equatoriano ter decretado situação de emergência no país.

O decreto foi emitido em meio a uma série de protestos iniciada por policiais e militares contrários a uma reforma que afetará benefícios aos servidores públicos. A Unasul é formada por Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.