Colômbia irá prender israelenses que treinaram paramilitares

A Colômbia conseguiu aprovação internacional para prender três isralenses acusados de forneceram treinamentos a paramilitares de ultradireita no país, de acordo com informações da BBC nesta quarta-feira, 4.Os israelenses Yair Klein, Melnik Ferry e Tzedaka Abraham são acusados de dar treinamentos militares nos anos 90 para forças de seguranças privadas de donos de terra e traficantes na Colômbia, segundo a emissora britânica BBC.Advogados dizem que os aprendizes realizaram um dos mais notáveis assassinatos políticos do paísAlguns deles, mais tarde, formaram o grupo paramilitar ultradireitista AUC.Os procuradores ainda acusam os três israelenses de terem trabalhado para um poderoso cartel de drogas de Medellín com o objetivo de criar um Exército pessoal para seu líder, Pablo Escobar.A liberação internacional da prisão dos três israelenses alega que eles instruíram tropas com "tática, procedimento e técnica militar e terrorista", além de conspiração, segundo uma fonte do Departamento Administrativo de Segurança.A AUC foi formada em 1997 por traficantes de drogas e donos de terra com o objetivo de combater seqüestro e extorsão de rebeldes. O grupo ainda promoveu massacres e assassinatos contra ativistas de esquerda na Colômbia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.