Colômbia não está a procura de jornalista francês

O ministro da Defesa da Colômbia, Juan Carlos Pinzón, disse que seu governo não iniciou uma missão especial de resgate ao jornalista francês que acompanhava uma missão de combate às drogas quando foi atacado por rebeldes de esquerda.

AE, Agência Estado

30 de abril de 2012 | 16h36

Um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da França disse que o país considera as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) responsáveis pelo desaparecimento, no sábado, do jornalistas Romeo Langlois e pediu sua imediata libertação.

Pinzón disse nesta segunda-feira que não podia dizer com certeza se o jornalista de 35 anos foi sequestrado e que as autoridades não sabem seu paradeiro.

Pinzón declarou que soldados viram Langlois com ferimento no braço esquerdo e que ele jogou seu capacete e seu colete na direção dos rebeldes. Quatro integrantes das forças de segurança morreram durante o ataque e seis ficaram feridos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaFrançajornalista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.