Colômbia nega incursão militar em território do Equador

A Colômbia negou neste domingo, 25, uma incursão de tropas do seu exército em território do Equador, um incidente que deixou duas pessoas mortas e provocou um pedido de Quito para investigar o caso que poderia causar um novo problema diplomático entre os dois países. O ministro da Defesa, Juan Manuel Santos, disse que na quinta-feira foi registrado em território colombiano um combate com guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), em que morreram dois rebeldes. "Pelas investigações que foram feitas da nossa parte, não é certa (a incursão no Equador). Foram feitas duas baixas de dois guerrilheiros no lado colombiano que depois apareceram no lado equatoriano", explicou Santos a jornalistas. Mas a chancelaria equatoriana assegurou que o incidente foi registrado na parte de Puerto Nuevo, província de Sucumbios, na fronteira com a Colômbia. A chancelaria equatoriana disse estar à espera de informações "em que se esclareça a possível presença e participação nesses confusos atos, de elementos estrangeiros que teriam incursado no país, e adotará, se for o caso, as ações correspondentes na ordem diplomática, para precaver a soberania e a segurança nacional".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.