Colômbia oferece prêmio por informações sobre assassinos de irmã de Gaviria

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, lamentou o assassinato, durante uma tentativa de seqüestro, da irmã do ex-presidente César Gaviria, a empresária Liliana Gaviria Trujillo, de 52 anos, e anunciou uma recompensa equivalente a US$ 430 mil pela captura dos assassinos.Uribe anunciou a recompensa num fórum de estudos econômicos, após ser informado do seqüestro e posterior assassinato de Liliana. O crime aconteceu nos arredores de Pereira, 350 quilômetros a oeste de Bogotá."Dói muito receber esta notícia. É uma grande dor para a família do senhor ex-presidente César Gaviria, para a sociedade de Pereira, de Risaralda e de todo o país", disse. Ele acrescentou que "o governo vai fazer todos os esforços para que o crime não fique impune".Uribe anunciou a recompensa "para as pessoas que, com informações, facilitem a captura dos autores materiais e intelectuais do crime". O presidente colombiano anunciou também que o general Jorge Daniel Castro, diretor da polícia, e o ministro da Defesa, Camilo Ospina, vão a Pereira para comandar as investigações. Ele mesmo vai à região para acompanhar o trabalho."É preciso derrotar a criminalidade""Um país regido por uma Constituição, que proclama um estado social de direito, em princípio, não deveria oferecer recompensas", mas "é preciso derrotar a criminalidade", admitiu Uribe.O corpo de Liliana Gaviria Trujillo foi encontrado num parque industrial perto do condomínio residencial onde ela morava. Ela morreu após uma troca de tiros entre os supostos seqüestradores e seus seguranças, um dos quais acabou morrendo.Liliana era gerente de uma empresa de construção. César Gaviria, que governou a Colômbia entre 1990 e 1994 e depois foi secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), tem mais quatro irmãos. Ele é o atual líder do Partido Liberal, de oposição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.