Colômbia ouve 60 pessoas sobre escândalo da ´parapolítica´

A Corte Suprema de Justiça da Colômbia intimou 60 pessoas, entre elas um ex-candidato presidencial, a depor no processo sobre conexões entre políticos e paramilitares, que provocou em novembro um escândalo nacional.A Corte Suprema ressaltou que a convocação não significa uma vinculação ao processo de investigação do escândalo conhecido como "parapolítica", que liga políticos ao grupo paramilitar de direita Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC), que se dissolveu no ano passado após três anos de negociações de paz.Um dos depoentes será o ex-candidato presidencial liberal Horácio Serpa, derrotado pelo presidente Álvaro Uribe nas eleições de 2002 e 2006.O ex-ministro Álvaro Araujo Noguera, pai da ministra de Relações Exteriores, María Consuelo Araújo, e o ex-ministro de Minas, Luis Ernesto Mejía, também foram chamados.Em 19 de janeiro foi revelado o texto de um pacto assinado em 2001 entre 32 políticos colombianos e líderes dos gruposparamilitares de direita, prometendo "refundar a pátria eestabelecer novo contrato social".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.