Colômbia pede reunião de emergência do Grupo de Lima por crise na Venezuela

Chanceler do país disse que, por instrução do presidente Iván Duque, já avançou na comunicação com os outros países para realização de encontro para continuar 'tarefa de apoiar o retorno da democracia e da liberdade' no país

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2019 | 09h11

BOGOTÁ - O chanceler da Colômbia, Carlos Holmes Trujillo, pediu nesta terça-feira, 30, uma reunião de emergência do Grupo de Lima para tratar da nova situação de crise na Venezuela depois que o líder opositor Juan Guaidó anunciou ter o apoio de um grupo de militares contra o presidente Nicolás Maduro.

Ao vivo: veja a cobertura da crise na Venezuela

"Faço um chamado a todos os países-membros do Grupo de Lima para que hoje continuemos nossa tarefa de apoiar o retorno da democracia e da liberdade na Venezuela e definamos (como fazer isso) de comum acordo uma reunião de emergência", manifestou Trujillo em sua conta no Twitter.

Em outra mensagem, o ministro de Relações Exteriores colombiano disse que, por instruções do presidente de seu país, Iván Duque, já avançou na "comunicação com os países do Grupo de Lima para convocar a reunião de emergência".

O grupo de Lima, do qual são membros Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru, Guaiana e Santa Lúcia, foi criado na capital peruana em agosto de 2017 com o propósito de encontrar saídas para a crise na Venezuela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.