Colômbia pode encerrar negociação de paz com Farcs

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, frustrado com a falta de progresso nas negociações do país com os rebeldes das Farcs, ameaçou no último sábado abandonar as negociações para encerrar o conflito que já dura quase 50 anos. "Enquanto nós fizermos progressos, vamos estar satisfeitos, mas se nós não avançarmos, vamos deixar a mesa de negociações", disse Santos em um evento público na cidade de Santa Bárbara, no departamento de Antioquia, no noroeste do país.

AE, Agência Estado

24 de fevereiro de 2013 | 10h34

Os rebeldes e o governo de Santos abriram as negociações de paz na Noruega, em outubro, e realizaram uma segunda rodada de conversas que começou em Cuba, no mês seguinte. As Farcs declararam um cessar-fogo unilateral de dois meses após a abertura das negociações, mas não quiseram estendê-lo depois que o governo deixou de retribuir.

"As regras do jogo são muito claras", afirmou Santos. "Não há cessar-fogo de nenhum tipo, nem militar, nem judicial, nem mesmo verbal. Essas são as condições que nós estabelecemos desde o começo."

Os dois lados, que têm estado em conflito desde 1964, estão mantendo conversações sobre o espinhoso tema da reforma agrária, que encabeça uma agenda do processo de paz de cinco pontos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaFarcs

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.