REUTERS/Carlo Allegri
REUTERS/Carlo Allegri

Colômbia pode ter plebiscito sobre acordo de paz antes de assinatura de pacto, diz Santos

A Corte Constitucional decidiu no último mês que um plebiscito seria realizado para legitimar qualquer acordo e ao menos 13% do eleitorado, cerca de 4,5 milhões de votantes, precisariam dizer "sim" para ele ser aprovado

O Estado de S. Paulo

04 Agosto 2016 | 21h05

BOGOTÁ - A Colômbia pode ter uma votação pública para aprovar um acordo de paz com os rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e colocar fim a mais de cinco décadas de guerra antes que o acordo seja formalmente assinado, disse o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, nesta quinta-feira, 4. A expectativa era grande de que um plebiscito fosse realizado após o governo e as Farc terem assinado oficialmente um acordo ao fim das negociações em Cuba.

"Quando concluirmos os pontos da agenda, isto é, quando tudo for acordado, é que enviaremos os textos ao Congresso e convocaremos o plebiscito", disse Santos durante um evento na cidade portuária de Buenaventura. "Esse momento não necessariamente coincidirá com a assinatura dos acordos. A assinatura é uma formalidade, pode ser feita depois."

A Corte Constitucional decidiu no último mês que um plebiscito seria realizado para legitimar qualquer acordo e ao menos 13% do eleitorado, cerca de 4,5 milhões de votantes, precisariam dizer "sim" para ele ser aprovado. O principal partido de oposição, o Centro Democratico, disse nesta semana que vai fazer campanha para o voto "não".

O governo e as Farc foram elaborando acordos em Havana desde 2012 sobre a reforma agrícola, a participação das Farc na política e o desmantelamento do tráfico de drogas ilícitas, bem como outros acordos que, segundo espera Santos, permitirão que os rebeldes entreguem as armas. / REUTERS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.