Colômbia: polícia investiga assassinato de ativista

Um ativista dos direitos humanos na Colômbia, Miller Angulo, de 33 anos, foi assassinado a tiros no porto de Tumaco, na fronteira com o Equador, informou a polícia nesta terça-feira. Angulo foi baleado no sábado quando bebia em uma mesa de bar com outro homem, que também foi ferido no ataque. Tumaco fica 650 quilômetros ao sudoeste de Bogotá.

AE, Agência Estado

04 de dezembro de 2012 | 15h25

"Nós estamos investigando o que os dois homens conversavam e contra quem foi dirigido o atentado", disse o comandante da polícia do departamento (Estado) de Nariño, o coronel Hugo Díaz. O outro homem baleado no ataque e que sobreviveu é supostamente membro da gangue Los Rastrojos (os restos) um mini cartel do narcotráfico colombiano que, após a desintegração do Cartel de Cali, assumiu o comércio ilegal da cocaína na costa oeste colombiana.

Angulo era casado e tinha dois filhos pequenos, de 8 e 10 anos. O cunhado ao ativista, um gerente de banco, teve que deixar recentemente Tumaco, após receber ameaças da guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Por isso, a polícia investiga várias linhas para o assassinato.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.