Colômbia prende traficante mais procurado do país

Governo oferecia recompensa de US$ 2 mi por informações sobre Daniel Herrera.

BBC Brasil, BBC

15 de abril de 2009 | 13h54

O governo da Colômbia anunciou a prisão do traficante de drogas mais procurado do país.

De acordo com o correspondente da BBC em Bogotá Jeremy McDermott, Daniel Rendón Herrera, conhecido como "Don Mario", foi capturado em uma operação da Polícia nesta quarta-feira perto da cidade de Apartalore, na província de Antioquia, norte do país.

As autoridades colombianas tinham oferecido uma recompensa de US$ 2 milhões por informações que levassem à prisão do traficante.

"Don Mario" construiu sua rede de tráfico usando as antigas redes paramilitares do país e criou seu próprio exército particular, formado por mais de mil integrantes fortemente armados, disse McDermott.

Farc

Herrera foi integrante do grupo paramilitar Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC), que se desmobilizou em 2003, depois de um acordo com o governo.

O traficante é acusado de traficar centenas de toneladas de drogas de uma área da costa caribenha que, na década de 90, era controlada por seu irmão, um líder paramilitar que atualmente está preso.

Ele teria feito acordos com os rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que já foram inimigos ferrenhos do AUC.

Acredita-se que "Don Mario" trabalhava com as Farc, defendendo sua rede de tráfico de drogas contra as forças de segurança que contavam com o apoio dos Estados Unidos.

No começo de 2009, Herrera teria oferecido aos seus subordinados quase US$ 1 mil por cada policial que eles conseguissem matar num momento em que as forças de segurança fechavam o cerco à sua rede.

A Colômbia é uma grande fornecedora mundial de cocaína e o tráfico de drogas tem estimulado o conflito interno do país, que já dura décadas.

A maior parte da cocaína produzida na Colômbia é contrabandeada para os Estados Unidos pelo México, onde nos últimos anos os episódios de violência relacionados às drogas vêm se tornando mais comuns. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.