Luis Jaime Acosta/Reuters
Luis Jaime Acosta/Reuters

Colômbia quer erradicar 130 mil hectares de coca em 2020

País tem sido alvo de pressão constante dos EUA, principal destino da cocaína, para reduzir cultivo dentro de suas fronteiras desde o final de 2017

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de fevereiro de 2020 | 19h18

BOGOTÁ - A Colômbia almeja erradicar neste ano 130 mil hectares de coca, o ingrediente base da cocaína, disse o ministro da Defesa, Carlos Holmes Trujillo, nesta segunda-feira, 10.

Uma ampla variedade de ferramentas será disponibilizada para retirar as mudas de coca, explicou o ministro, incluindo a possível retomada das fumigações do herbicida glifosato.

O país tem sido alvo de uma pressão constante dos Estados Unidos, o principal destino da cocaína, para reduzir o cultivo da coca dentro de suas fronteiras desde o final de 2017, quando a área ocupada pelas plantações de coca chegou a 209 mil hectares.

Em 2017, o cultivo da coca tinha a capacidade de produzir 921 toneladas de cocaína, de acordo com o governo dos EUA.

“Quanto à meta de erradicação, estabelecemos o objetivo de 130 mil hectares, levando em conta todas as ferramentas disponíveis”, disse Trujillo aos jornalistas.

A meta para a erradicação de coca em 2020 é 30% maior do que a do ano anterior, quando o país andino conseguiu destruir pouco mais de 100 mil hectares de coca usando técnicas de remoção manual.

A Colômbia suspendeu a fumigação aérea de glifosato em 2015 depois que a Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que o herbicida é prejudicial ao meio ambiente e à saúde, podendo causar câncer.

O governo do presidente Iván Duque está trabalhando para cumprir vários requisitos ambientais e de saúde exigidos pelo Tribunal Constitucional para poder retomar a fumigação aérea, possivelmente já no primeiro semestre. /Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
Colômbia [América do Sul]cocaína

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.