Colômbia quer explicações dos EUA sobre espionagem

Para o país sul-americano, ação viola convenções internacionais e direitos dos cidadãos colombianos

O Estado de S. Paulo,

10 de julho de 2013 | 12h16

BOGOTÁ - O governo da Colômbia vai pedir explicações aos Estados Unidos sobre a espionagem de cidadãos colombianos. O Ministério das Relações Exteriores afirmou, em comunicado, que o país sul-americano rejeita "atos de espionagem que violam os direitos e privacidade dos cidadãos e das convenções internacionais."

O jornal O Globo noticiou na terça-feira que cidadãos da Colômbia, México, Argentina, Equador, Venezuela, Panamá, Costa Rica, Nicarágua, Honduras, Paraguai, Chile, Peru, Brasil e El Salvador foram alvos do programa de monitoramento de ligações telefônicas e internet da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês).

A reportagem foi feita a partir de declarações do ex-técnico da CIA Edward Snowden. Segundo o diário brasileiro, o objetivo da agência de espionagem americana era obter dados sobre temas como energia, petróleo e compras de equipamento militar.

Presidentes dos outros países que, segundo a reportagem, também foram alvos do serviço de monitoramento americano devem discutir o caso na reunião do Mercosul, que começa nesta quinta-feira em Montevidéu, no Uruguai.

"Corre um frio pela minha espinha quando me dou conta de que estão espionando a todos nós por meio de seus serviços de informação", disse a presidente argentina, Cristina Kirchner. O chanceler equatoriano, Ricardo Patiño, condenou o que chamou de "situação de espionagem permanente"./ AP

 
Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaEUAespionagemEdward Snowden

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.