Colômbia reforça segurança do presidente

As medidas de segurança em torno do presidente colombiano, Alvaro Uribe, foram reforçadas e houve mudanças no programa de sua visita a Medellín nesta quarta-feira, após as autoridades receberem um informe sobre um possível atentado. "Recebemos essa informação hoje pela manhã. Aparentemente, (os terroristas) queriam entrar em ação no Hotel Intercontinental. Como medida de prudência, decidimos mudar para a Quarta Brigada do Exército a sede do evento que estava programado para o hotel", disse a ministra da Defesa, Martha Lucía Rodríguez, em entrevista à imprensa, após revelar o plano da guerrilha. "O presidente está absolutamente seguro, como desejam os 44 milhões de colombianos, cumprindo normalmente sua agenda em Medellín", acrescentou. Uribe foi alvo de uma tentativa de assassinato pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em abril, durante sua campanha eleitoral em Barranquilla, a principal cidade do país na costa do Caribe. No atentado com explosivos morreram quatro pessoas mas Uribe, que viajava em um carro blindado, escapou ileso. No momento em que Uribe assumia o poder em 7 de agosto passado, as Farc lançaram 14 granadas de morteiro em Bogotá, atingindo até mesmo o palácio presidencial. O incidente deixou 21 pessoas mortas.

Agencia Estado,

11 Dezembro 2002 | 15h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.