Colômbia rejeita proposta de paz da ONU

O governo colombiano rejeitou a proposta das Nações Unidas para dar início a conversações de paz na região de Arauca, rica em petróleo. As autoridades colombianas alegam que a negociação de paz deve ter âmbito nacional. Arauca, no leste do país, vem sendo a peça central do esforço do presidente Alvaro Uribe para subjugar os rebeldes que travam uma guerra de 38 anos contra o governo.Na última semana, Uribe congelou US$ 40 milhões em royalties de petróleo que seriam pagos às administrações locais de Arauca, porque o dinheiro vinha sendo desviado para os rebeldes. O Exército de Libertação Nacional (ELN) há tempos mantém o controle sobre a região. Nos últimos anos, o maior grupo rebelde dos país, as Farc, e as milícias de direita também entraram na disputa por Arauca.O escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos havia sugerido negociações de paz regionais como um meio de reduzir a violência. Rebeldes recentemente bombardearam duas torres de energia elétrica em Arauca, deixando a região toda sem eletricidade e obrigando o governo a impor um toque de recolher.Rebeldes também detonaram quatro carros-bomba no mês passado, causando 11 mortes, e capturaram dois jornalistas estrangeiros, mantendo-os como reféns por 11 dias.A ministra da Defesa Lucia Ramirez afirmou hoje que a idéia de conversações de paz em âmbito regional era ?proposta da ONU, não do governo?, e que esse tipo de negociação deveria ocorrer em escala nacional.Os EUA, que forneceram à Colômbia ajuda militar de quase US$ 2 milhões nos últimos três anos, recentemente enviaram 30 boinas-verdes a Arauca, para treinar forças colombianas para proteger um oleoduto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.