Colômbia retoma cidade ocupada pela guerrilha

As forças de segurança colombianas recuperaram o controle da cidade de Belalcázar, após uma tentativa da guerrilha de ocupá-la, que foi respondida por um ataque aéreo que teria deixado mais de 70 mortos. O comandante da polícia do departamento de Cauca, coronel José Edgar Herrera, informou nesta segunda-feira que suas tropas se aproximam de uma estrada rural onde dois caminhões que transportavam rebeldes foram destruídos por um avião bombardeiro da Força Aérea. Acrescentou que "calcula-se em 70 o número dos guerrilheiros mortos" nesta ofensiva, e que as forças de segurança estão se aproximando do local do ataque e que, lá chegando, darão informes mais precisos. Um fotógrafo que colabora com a Associated Press e que esteve no lugar da explosão disse que o terreno estava coberto de restos de corpos e ferros retorcidos. Vários cadáveres foram transportados para o necrotério local, mas o número ainda não foi confirmado. No domingo, cerca de 300 rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) tentaram tomar Belalcázar, situada 310 km a sudoeste de Bogotá, onde vivem 20.000 pessoas. Durante o dia todo, ocorreram trocas de disparos entre os insurgentes e os 18 policiais que defendiam a localidade, nas montanhas que têm forte presença indígena. As Farc lançaram botijões com explosivos que causaram sérios danos materiais em moradias e ferimentos leves em civis. Em meio aos combates, os rebeldes capturaram dois policiais, que foram fuzilados por eles diante de algumas pessoas que pediram que os agentes fossem poupados. Devido à insistência de seus pedidos, um civil também foi executado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.