Colômbia se despede do arcebispo de Cali

Enquanto centenas de milhares de pessoas se dirigiam, nesta segunda-feira, à Catedral de Cali para dar seu último adeus ao assassinado arcebispo Isaías Duarte Cancino, numerosos suspeitos foram detidos pelo crime que deixou a Colômbia em estado de indignação e dor.Segundo o procurador-geral, Luis Camilo Osorio, o assassinato pode ter sido cometido por uma associação entre o narcotráfico e a guerrilha - grupos que receberam vigorosas críticas por parte do prelado -, mas advertiu que "nenhuma hipótese pode ser descartada". As autoridades continuam buscando dois pistoleiros e uma mulher, que aparentemente executaram o crime quando o arcebispo saía da paróquia do Bom Pastor, em Aguablanca, um bairro pobre de Cali, após uma cerimônia de casamento coletiva. Nas últimas 48 horas, 514 suspeitos foram detidos, mas a maioria foi deixada em liberdade em seguida. Cerca de 300.000 pessoas - entre estudantes, trabalhadores, dirigentes políticos e indigentes - desfilaram desde este domingo diante do féretro, antes do funeral previsto para esta terça-feira, na Praça de Caicedo, informou a assessoria de imprensa da Arquidiocese de Cali. "Monsenhor foi um apóstolo da caridade, porque aqui construiu sete escolas, que têm 350.000 alunos de famílias de poucos recursos, e criou um programa de alimentos para que os indigentes que estão nas ruas não passem fome", informou o assessor de imprensa Gersaín Paz à Associated Press.O prefeito de Cali, John Maro Rodríguez, decretou três dias de luto, e esta noite se apagarão as luzes da cidade colombiana de dois milhões de habitantes e se acenderão milhares de velas para dizer sim à vida. O governo está oferecendo uma recompensa de US$ 430.000 a quem der informações que conduzam aos autores materiais e intelectuais do crime. "Foram assassinos de aluguel que não eram do lugar", disse o pároco da igreja de Bom Pastor, Oscar Vega, ao revelar que os dois assassinos armados haviam sido vistos rondando a igreja. "Cremos que eram ladrões." Mas Vega destacou que "o importante é quem está por trás disto. É importante descobrir os autores intelectuais" por trás do crime.O arcebispo denunciou há três semanas, antes das eleições de 10 de março, que havia candidatos ao Congresso financiados pelo narcotráfico. "Simplesmente, ele morreu no cumprimento da palavra do Evangelho: o bom pastor entrega sua vida por suas ovelhas", disse o arcebispo Alberto Giraldo, presidente da Conferência Episcopal colombiana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.