Luisa Gonzales/REUTERS
Luisa Gonzales/REUTERS

Colômbia terá acesso gratuito e universal às vacinas contra covid-19

Presidente Iván Duque assinou regulamento que garante isenção e autoriza governo a se envolver em alianças multilaterais para obter imunizante

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2020 | 22h40

BOGOTÁ - A Colômbia aprovou nesta quarta-feira, 9, uma lei que garantirá o acesso gratuito e universal às vacinas contra a covid-19 a partir de 2021.

Durante um ato público, o presidente Iván Duque assinou o regulamento votado pelo Congresso e que essencialmente abre as portas às vacinas “para todos os colombianos”.

A lei também garante sua gratuidade e autoriza o governo a se envolver em alianças multilaterais para obtê-la.

O regulamento também acelera o desembolso de recursos e abre a opção para o Estado assumir "investimentos de risco" para obter direitos sobre futuras vacinas. As empresas e pessoas físicas que investirem nessa frente poderão deduzir impostos, diz a lei promulgada por Duque.

A Colômbia também terá um conselho técnico que avaliará os possíveis efeitos colaterais da estratégia de imunização contra a covid-19.

Desde o final de novembro, o Ministério da Saúde anunciou que o país terá acesso a 20 milhões de doses por meio do Covax, mecanismo implantado pela Organização Mundial da Saúde para garantir o acesso eqüitativo aos países emergentes.

O governo Duque também garantiu que mantém negociações bilaterais com diferentes empresas farmacêuticas.

Conforme anunciado pelo presidente, o programa de vacinação pode começar no primeiro trimestre de 2021 para profissionais de saúde, adultos com mais de 60 anos e pessoas com comorbidades como diabetes ou doenças renais e cardíacas.

A Colômbia soma quase 1,4 milhão de infecções e mais de 38.300 mortes por covid-19. /AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.