Colômbia usará helicóptero do Brasil em resgates

A senadora colombiana Piedad Córdoba, que lidera a missão para resgatar os militares cativos das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), chegou este sábado a Villavicencio no helicóptero brasileiro que participará da operação de resgate no país. Participam da operação dois helicópteros com bandeira da Cruz Vermelha.

AE-AP, Agência Estado

27 de março de 2010 | 18h46

"Amanhã sairemos às sete horas da manhã, como havíamos planejado, para retornar antes do meio-dia e logo seguir para Florencia, onde iniciaremos a segunda fase, de resgate a Moncayo", disse Piedad.

Na primeira parte da ação, os helicópteros viajarão no domingo para um lugar determinado pela guerrilha das Farc, para resgatar o soldado Josué Calvo. Na terça-feira, será a vez de resgatar o sargento Pablo Emilio Moncayo, sequestrado em dezembro de 1997. O procedimento foi apresentado à imprensa pelo comissário de paz Frank Pearl.

Em coletiva de imprensa, ele informou que Calvo, de 23 anos, será levado para encontrar seus familiares em uma sala do aeroporto de Vanguardia, de Villavicencio. Em seguida, ele vai falar com os jornalistas, para depois ser levado ao Hospital Militar Central, de Bogotá. Pearl disse que Calvo está ferido em uma de suas pernas e deve passar por tratamento médico. Ele foi sequestrado pelas Farc em abril de 2009 na zona rural de Vistahermosa, município a 180 km ao sul da capital Bogotá.

A expectativa era que a primeira liberação acontecesse neste sábado, mas um anúncio ao final desta sexta-feira reportou que haveria um dia de atraso na operação. Em comunicado, as Farc informaram que o atraso ocorreria por conta de operações militares que estavam sendo realizadas na área de entrega, afirmação que foi desmentida pelo comandante das Forças Armadas, general Freddy Padilla.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaFarcresgatehelicóptero

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.