Colombianos marcham contra comentários após estupro

Um grupo de mulheres vestidas com minissaias se mobilizaram em frente a uma das casas noturnas mais famosas da Colômbia e protestaram contra comentários feitos pelo proprietário de uma discoteca, que teria insinuado que o vestuário de uma mulher pode ter contribuído para que ela fosse estuprada.

AE, Agência Estado

17 de novembro de 2013 | 21h52

"A mulher tem o direito de mostrar o seu corpo do jeito que ela quiser", afirmou a manifestante Marcela Clavijo, uma das 20 mulheres que protestam em frente à discoteca Andres Carne de Res, em Bogotá.

O proprietário da casa noturna, Andres Jaramillo, recebeu críticas após ter respondido perguntas sobre uma mulher que foi estuprada no estacionamento da discoteca. Durante a entrevista, o empresário comentou sobre a vestimenta da mulher. A polícia investiga o caso, mas nenhum prisão foi feita. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
colômbiaestuproprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.