EFE/MAURICIO DUEÑAS CASTAÑEDA
EFE/MAURICIO DUEÑAS CASTAÑEDA

Colombianos saem às ruas em manifestações pela paz

Centenas de pessoas vestindo branco e cantando o hino nacional fecharam ruas de Bogotá e de outras 13 cidades colombianas; atos foram convocados por estudantes

Fernanda Simas, Enviada Especial / Bogotá, O Estado de S. Paulo

06 Outubro 2016 | 08h49

BOGOTÁ - Estudantes de universidades de Bogotá se reuniram no fim da tarde da quarta-feira, 5, para uma manifestação pela paz. Centenas de pessoas vestindo branco caminharam até a Praça Bolívar com bandeiras do país e cantaram o hino nacional. A ideia da manifestação surgiu após a vitória do 'não' no plebiscito de domingo sobre o acordo de paz entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). 

A "marcha universitária pela paz" fechou partes de avenidas da cidade e terminou com uma concentração na praça, em frente ao Congresso. Os manifestantes pediam para que as negociações de paz continuem.  Segurando cartazes com os dizeres "somos a favor da paz" e "não dê um passo atrás", muitos manifestantes eram partidários do 'sim' no plebiscito. Mas a ideia da manifestação era pedir união. "Estamos aqui pelo o que nos une", diziam outras faixas.

No começo da noite, a presidência anunciou que Juan Manuel Santos iria até a manifestação, mas minutos depois informou que, em razão da quantidade de pessoas na rua, ele não conseguiria chegar a tempo. 

Vídeos e fotos foram postados nas redes sociais pedindo que o cessar-fogo bilateral entre governo e guerrilha não acabe. Manifestações ocorreram em outras 13 cidades colombianas e outras estão previstas para esta quinta-feira, 6, e para a sexta.

As Farc reagiram às manifestações. "Se sente uma imensa alegria ao ver as ruas lotadas de sonhos e clamores pela paz referendando os acordos de Havana", escreveu o líder guerrilheiro Félix Antonio Muñoz Lascarro, conhecido como Pastor Alape.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.