Colonoscopia pode deixar de detectar lesões sérias, diz estudo

Os mais perigosos tipos de lesõespré-cancerígenas no cólon podem não ser identificados nosexames de colonoscopia, alertaram pesquisadores nestaquarta-feira. Mais de 9 por cento das lesões que poderiam se transformarem tumores são planas e difíceis de ver, constatou a equipe doSistema de Saúde dos Veteranos de Palo Alto, na Califórnia. Colonoscopias são exames que usam endoscópios -- umapequena câmera em um tubo flexível. O médico que o realiza podever e remover pólipos, pequenos nódulos que poderiam se tornartumores. Mas nem toda a lesão pré-cancerígena aparece. Essas são deum tipo plano, chamado de neoplasma coloretal não-polipóide. Aequipe da Califórnia descobriu que eles são mais comuns e maisperigosos do que se imaginava. O médico Roy Soetikno e colegas examinaram os resultados de1.819 colonoscopias de pacientes do hospital. Eles encontraram170 dessas lesões de formato plano, ou seja 9,35 por cento detodos os nódulos detectados. Depois de removidos, as análises mostraram que aprobabilidade de serem malignos era dez vezes maior que ostumores considerados suspeitos de conter tecidos cancerígenos,relatou a equipe de Soetikno a uma publicação da AssociaçãoMédica Norte-Americana.A equipe observou que até 1 por cento dos pacientes que fazemcolonoscopias desenvolvem câncer no prazo de três anos. Um dosmotivos para isso seriam essas lesões não identificados peloexame.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.