Colorado faz blitz no trânsito após legalização

Polícia estadual pretende reprimir motoristas que dirigem sob efeito da maconha; lei que regulariza venda entrou em vigor no primeiro dia do ano

O Estado de S.Paulo

03 de janeiro de 2014 | 02h01

DENVER - No dia seguinte à legalização da maconha para uso recreativo no Estado americano do Colorado, autoridades locais intensificaram a fiscalização de trânsito contra pessoas dirigindo sob efeito da droga. Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (CSP, na sigla em inglês), a aprovação da lei não elimina a obrigação dos motoristas de estarem sóbrios ao conduzir seus veículos.

"A CSP continua a cumprir as leis que proíbem a direção sob efeito de drogas, seja maconha, álcool ou qualquer outra substância", disse o porta-voz Mike Baker.

Com a legalização, a polícia incluirá relatórios de inteligência em pontos de fiscalização para descobrir motoristas sob efeitos de drogas. Segundo o Departamento de Transporte do Estado, em 2012, foram registrados 472 mortes no trânsito no Colorado. Em 7,4% dos casos, os condutores estavam sob efeito da droga, que, segundo especialistas, provoca sonolência e diminui o tempo de reação ao volante. Em Denver, a capital, também em 2012, apenas 3,6% das prisões por direção sob efeito de drogas tinham relação com o consumo de maconha.

O limite estadual de THC no sangue permitido para dirigir é de 5 nanogramas por mililitro. Nos próximos meses, deverá ser lançado um programa de educação sobre o trânsito e sobre a nova lei de maconha nas escolas estaduais.

Para detectar se o motorista está sob o efeito da droga, podem ser feitos testes a partir da saliva e exames de sangue. O Colorado é o primeiro Estado americano a permitir a compra de maconha para uso recreativo, desde que feita por maiores de 21 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.