Columbia terá Centro de Estudos Brasileiros

A Universidade de Columbia terá, a partir deste ano, um Centro de Estudos Brasileiros em sua Escola de Negócios Públicos e Internacionais (SIPA). O economista Albert Fishlow dirigirá o novo centro, que contará também com a colaboração do cientista político Alfred Stepan, ex-diretor da SIPA na fase de decolagem.Fishlow e Stepan são membros da safra inicial de brazilianistas, acadêmicos americanos que se dedicaram ao estudo do Brasil a partir dos anos 60."A importância do novo Centro de Estudos Brasileiros é que ele estabelece, pela primeira vez, na capital financeira do mundo, um lugar de estudo acadêmico e de reflexão sobre os assuntos brasileiros, e isso apenas reafirma a crescente importância do Brasil", disse Fishlow, que foi conselheiro da tese de doutorado do atual ministro da Fazenda, Pedro Malan, na Universidade da Califórnia e foi o único economista que previu o sucesso do Plano Real.Vários bancos, entre eles Itaú, Bradesco, Unibanco, ING Barings, Merrill Lynch, Citibank, BBA Creditanstalt e JP Morgan, contribuíram com os fundos iniciais para a criação do Centro. O presidente do Banco Central, Armínio Fraga, que ensinou na Universidade de Columbia nos anos em que viveu em Nova York, figura entre as pessoas que fizeram contribuições individuais.Segundo Fishlow, o Centro começará com um curso sobre economia brasileira, que ele próprio ministrará, e um seminário dirigido por Stepan. Oferecerá, também, palestras e discussões com intelectuais, acadêmicos, políticos e formadores de opinião brasileiros ou que estudem o País."Um dos nosso objetivos é promover uma compreensão mais ampla sobre o Brasil - sua história e sociedade, sua política e economia, sua cultura, ecologia e lugar no mundo - através de um programa de conferências, seminários, projetos de pesquisa e publicações"."Nós estamos enormemente agradecidos pelo fato de o embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Rubens Barbosa, e seus colegas atribuírem à Universidade de Columbia um papel importante no estudo e na disseminação do conhecimento sobre o Brasil, e esperamos contribuir para que o Centro de Estudos Brasileiros seja um lugar vivo e ativo", disse a diretora da SIPA, Lisa Anderson, durante a cerimônia de lançamento, nesta terça-feira, no campus da universidade.Este é o terceiro núcleo de estudos brasileiros criado por universidades e entidades acadêmicas nos EUA dentro do plano de ação que Barbosa apresentou ao assumir a embaixada, há 18 meses. Em junho passado, o Centro Internacional Woodrow Wilson para Acadêmicos inaugurou seu Programa de Estudos Brasileiros. A Universidade de Georgetown iniciou um programa semelhante em novembro. Em dezembro passado, a embaixada brasileira em Washington promoveu um encontro de dois dias para fazer um balanço dos estudos sobre o Brasil nos EUA no período 1945-2000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.