Jeenah Moon/Reuters
Jeenah Moon/Reuters

Com 20.229 mortos, EUA superam Itália em número de vítimas pelo coronavírus

EUA também são o país mais afetado pela contaminação, com mais de 500 mil casos confirmados de infecção

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2020 | 13h42

NOVA YORK - Os Estados Unidos  ultrapassaram  neste sábado a Itália e se tornaram o país com o maior número de mortes pelo novo coronavírus, 20.229, segundo as últimas atualizações. Os EUA também têm o maior número de casos confirmados da covid-19, com mais de 500 mil..

Atualmente, a Itália registra 19.468 mortes relacionadas ao vírus, de acordo com as contagens feitas pelas agências France-Presse e Reuters com base em relatórios oficiais. A população do país europeu, no entanto, é menos de um quinto da população dos Estados Unidos.  Enquanto o coronavírus matou 32 pessoas a cada 100.000 na Itália, ele matou 6 a cada 100.000 mil nos EUA.

Na sexta-feira, os Estados Unidos se tornaram o primeiro do mundo a exceder 2 mil mortes por covid-19 em um único dia, com 2.108 óbitos. O Estado de Nova York é o epicentro da pandemia nos Estados Unidos, com mais de 8.600 mortes.  

O presidente Donald Trump afirmou que a decisão sobre quando será seguro reabrir o país será a maior que ele já teve de tomar. De olho na reeleição em novembro, Trump disse desejar que a vida volte ao normal o mais rápido possível e as amplas restrições ao movimento destinadas a conter a propagação da covid-19 carregam seus custos à saúde pública e à economia. “Vou ter de tomar uma decisão e espero por Deus que seja a decisão certa.”

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, anunciou neste sábado que as escolas públicas da cidade permanecerão fechadas até o fim do ano letivo nos EUA, em setembro, em razão do coronavírus. Mas o governador de Nova York, Andrew Cuomo, disse pouco depois que a decisão sobre quanto tempo as escolas deveriam ser fechadas corresponde a ele e deve ser tomada em coordenação com o restante da área metropolitana e, de preferência, com os vizinhos New Jersey e Connecticut. 

“Você não pode tomar uma decisão apenas para a cidade de Nova York sem coordenar com toda a região metropolitana, pois tudo funciona em conjunto”, disse Cuomo a repórteres. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.