Com 7 bilhões, mundo precisa de mão de obra

No próximo ano, a Terra terá 7 bilhões de habitantes. Em 2050, serão 9 bilhões. O crescimento populacional seria positivo, se o aumento da natalidade ocorresse principalmente entre os mais ricos. Mas são os países em desenvolvimento, com 267 nascimentos e 108 mortes por dia, que se encarregam de colocar 80 milhões de seres humanos no planeta a cada ano. Uma realidade que aumenta a pobreza e ameaça o progresso nestes lugares. Nos países ricos, o que assusta é a perspectiva de falta de mão de obra. Estados Unidos, Austrália e Canadá continuam crescendo porque ainda conseguem - graças ao estímulo à natalidade e maior imigração - manter índices de nascimento superiores aos de Japão, Coreia do Sul e Europa.

, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2010 | 00h00

THE GUARDIAN

Reis sul-africanos na mira de Zuma

Seis das 13 tradicionais monarquias sul-africanas estão perto da extinção. O presidente Jacob Zuma as considera "ferramentas para dividir a oposição usadas na época do apartheid". Os monarcas, que não têm poder político, mas têm grande influência em suas comunidades, reinarão até a morte, mas não terão sucessor.

BBC

Britânicos condenam padre por casar ilegais

A Justiça britânica considerou culpado um padre que celebrou centenas de casamentos de conveniência para facilitar a imigração ilegal para o país. De 383 uniões celebradas entre 2005 e 2009 pelo reverendo Alex Brown, 360 foram de mentira. As noivas recebiam R$ 8 mil por casamento. A sentença sai em uma semana.

DAILY TELEGRAPH

Regime norte-coreano pune time do Mundial

O governo norte-coreano demorou 20 dias para dar à comissão técnica da última Copa do Mundo de futebol uma "recompensa" pelo desempenho. Após três derrotas, uma delas por 7 a 0 para Portugal, o time teve de reconhecer e explicar seu fracasso durante seis horas ao ministro de Esportes e a 400 inquisidores. O treinador, Kim Jong-hun, foi expulso do Partido dos Trabalhadores da Coreia e forçado a trabalhar na construção civil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.