Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Claudia Morales / Reuters
Claudia Morales / Reuters

Com alta de casos de covid, Peru faz 'cerco sanitário' na região de Arequipa

Pelo decreto divulgado neste sábado, 19, estão suspensos os serviços de transporte aéreo e terrestre

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2021 | 14h30

LIMA - O governo do Peru decretou neste sábado, 19, um "cerco sanitário" na região andina de Arequipa por causa do aumento dos casos de covid-19. As restrições valerão a partir de segunda-feira. Pelo decreto que determina as restrições estão suspensos "o serviço de transporte aéreo e terrestre  nacional e regional no Departamento de Arequipa, pelo prazo de 15 dias”. 

A região de Arequipa, cuja capital tem o mesmo nome é a segunda maior cidade do país, concentra prósperos centros industrial, agrícola e turístico de 1,5 milhão de habitantes. Ela está localizada 1 mil km a sudeste de Lima. Na área, dois casos da variante Delta (pela primeira vez encontrada na Índia) de covid-19 foram detectados.

O ministro da Saúde, Óscar Ugarte, explicou que a medida visa evitar que o elevado número de infecções naquela região se espalhe para outras áreas, que têm resgistrado uma pequena queda nas infecções, após três meses de sucessivos recordes.

Arequipa registrou mais de 94 mil infecções e 8.304 mortes desde o início da pandemia em março de 2020, de acordo com o Ministério da Saúde.

A decisão não agradou as autoridades locais. “Questionamos se essa decisão foi tomada de forma unilateral”, disse o governador da região, Elmer Cáceres. “É necessário um esforço conjunto entre o Ministério da Saúde e os técnicos da Saúde de Arequipa”, afirmou.

Com 33 milhões de habitantes, o Peru registra mais de 2 milhões de infecções e quase 190 mil mortes. Após ajustar seus números no final de maio, a nação apresenta a maior mortalidade por pandemia do mundo, com 584 mortes para cada 100 mil habitantes. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.