Com apoio da Rússia, conselho da ONU deve aprovar declaração contra Assad

Principal aliada do governo de Bashar Assad no Conselho de Segurança das Nações Unidas, a Rússia anunciou ontem que apoia o plano do ex-secretário-geral da ONU e enviado especial da Liga Árabe à Síria, Kofi Annan, para tentar resolver a crise política que já dura um ano no país.

O Estado de S.Paulo

21 Março 2012 | 03h03

Com o recuo de Moscou, que vetou duas vezes iniciativas anti-Assad, o conselho deve aprovar uma declaração presidencial - que não tem o mesmo peso político de um resolução - dando suporte para o plano de Annan. O ex-secretário-geral esteve na semana passada em Damasco. "O Conselho de Segurança deve dar apoio ao plano não como um ultimato (a Assad), mas como base para o prosseguimento dos esforços de Annan", disse o chanceler da Rússia, Sergei Lavrov.

Segundo a ONU, mais de 8 mil pessoas morreram por causa da violência na Síria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.