Com apuração próxima do fim, Calderón é o novo presidente do México

O candidato governista Felipe Calderón é o novo presidente do México, segundo o resultado da apuração oficial dos votos do pleito do último domingo, praticamente encerrada na manhã desta quinta-feira. Apesar de praticamente incontestável, o resultado não foi aceito pelo oposicionista Andrés Manuel López Obrador, que anunciou que acionará a justiça para que a contagem seja revista, abrindo o terreno para que uma longa batalha sobre quem comandará a jovem democracia mexicana.Com 99,9% dos votos apurados, Calderón, do Partido de Ação Nacional (PAN) venceria mesmo que todos os sufrágios restantes fossem para López Obrador, do Partido Revolucionário Democrático (PRD). O candidato panista obteve 35,88% dos votos, enquanto López Obrador aparecia com 35,31%. Menos de 200 mil votos separam os dois.Diante do novo resultado e após aparecer por alguns momentos à frente de seu rival, o candidato esquerdista anunciou que contestará as eleições de domingo e exigirá ao Tribunal Eleitoral da Federação que refaça a contagem "voto a voto"."Decidimos contestar o processo eleitoral e recorrer ao Tribunal para uma apuração dos votos, porque não podemos aceitar os resultados fornecidos pelo Instituto Federal Eleitoral (IFE)", disse López Obrador, referindo-se à pequena vantagem do candidato panista.Em entrevista coletiva, o candidato do PRD afirmou que os líderes da coalizão esquerdista que o lançou como candidato à presidência irão nos próximos três dias ao Tribunal Eleitoral da Federação para contestar as eleições."Nós triunfamos nas eleições de domingo, por isso iremos à Justiça", acrescentou, ratificando a denúncia do PRD de que houve muitas irregularidades durante a votação.López Obrador criticou o IFE por ter apurado "em apenas 24 horas" a votação de domingo, quando ele pediu que "levasse todo o tempo possível" para cumprir essa tarefa.Ainda durante a coletiva, o candidato esquerdista anunciou que no sábado liderará uma manifestação com seus correligionários na Cidade do México para exigir a revisão da apuração, o que fomentou os temores de que os protestos possam levar a atos de violência.Já nesta quinta-feira, partidários do candidato, que prometeu governar para os pobres do México, saíram às ruas alegando que não deixariam seu líder ter a vitória roubada."Virada"López Obrador liderou a contagem oficial até a inversão do resultado, com 97% dos votos apurados. Segundo dirigentes do PAN, a vantagem temporária do candidato oposicionista deveu-se aos atrasos provocados pelos protestos dos partidários do esquerdista.Depois que a contagem for finalizada, ela só poderá ser contestada na máxima instância da justiça eleitoral mexicana. O prazo final para que o vencedor seja anunciado é 6 de setembro.O peso mexicano ganhou força frente ao dólar depois que a contagem oficial indicou que o candidato conservador levaria o pleito.Assim que a contagem passou a favorecer Calderón, nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira, o candidato panista pediu que o país superasse a disputa. "A partir de hoje, vamos ajudar o México a começar uma nova era de paz e reconciliação", disse Calderón a centenas de seguidores que se reuniram na frente do diretório do partido.Segundo Calderón, a eleição de domingo foi a "mais democrática e limpa da história do México". Ele também pediu ao rival López Obrador e a todos os mexicanos que ignorem as divisões que surgiram ao longo da campanha para focar "não em nossas diferenças, mas nas nossas similaridades".Calderón voltou-se aos milhões que não votaram nele, pedindo que o "dêem uma chance para ganhar sua confiança".O encerramento da contagem oficial nesta quinta-feira põe fim a quatro dias de debate sobre os resultados das eleições.Quando as urnas foram fechadas no domingo, os mesários das 130.488 sessões eleitorais contaram os votos e os enviaram em pacotes lacrados para o IFE, junto com o resultado extra-oficial da contagem. A divulgação desta informação gerou protestos entre os partidários de López Obrador, já que indicava uma vitória apertada de Calderón, que tinha apenas um ponto porcentual a mais do que seu adversário.A apuração oficial foi realizada com base na contagem realizada pelos mesários, o que gerou protesto de López Obrador, que pediu para que os votos fossem recontados um a um. Agora, ele e seus partidário irão reivindicar essa recontagem no tribunal eleitoral do país."Nós sempre iremos agir de maneira responsável, mas, ao mesmo tempo, temos que defender os desejos de nossos cidadãos", disse o líder esquerdista.Este texto foi atualizado às 17h09

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.