Com baixa aprovação, Cristina lança bilhete com rosto de Evita

País lembra hoje a 'mãe dos pobres', cuja efígie será registrada na cédula de 100 pesos, no 60º aniversário de sua morte

ARIEL PALACIOS , CORRESPONDENTE / BUENOS AIRES, O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2012 | 03h01

Com a popularidade em baixa - caiu de 64% em dezembro para 39% em junho -, a presidente argentina, Cristina Kirchner, anunciará hoje a emissão de uma nota de 100 pesos com a efígie da ex-primeira-dama Eva Perón, cuja morte completa 60 anos. Além disso, ao longo desta semana, Evita será homenageada com exibições fotográficas, peças de teatro e um desfile de modas que recriará os elegantes vestidos feitos exclusivamente para a ex-primeira-dama.

"Voltarei e serei milhões", teria dito Eva Perón minutos antes de sua morte, na noite de 26 de julho de 1952. A lenda diz que, morrendo de câncer no útero, Evita afirmava que voltaria da morte na forma de trabalhadores "descamisados" para tomar o poder totalmente. A Argentina recorda hoje, como os peronistas costumam afirmar - citando a hora da morte, 20h25 - "o momento em que Evita fez a passagem para a imortalidade".

Analistas políticos ironizam a frase dizendo que a chamada mãe dos pobres "é a morta mais viva da política argentina", pois seu nome e afirmações são constantemente usados para justificar atitudes dos peronistas atuais.

É o caso da presidente Cristina, fã declarada de Evita, a quem cita como um "exemplo a seguir". Cristina imita o jeito enfático de Evita ao discursar, usando pausas dramáticas e gestos grandiloquentes. Em diversas ocasiões a presidente deu a entender que se considera uma sucessora de Evita.

Cristina realiza a maior parte de seus discursos na Casa Rosada diante de uma maquete do prédio do Ministério de Ação Social. No ano passado, ela ordenou a instalação de dois murais com imagens de Evita no edifício. Desta forma, quando Cristina entra em rede nacional na televisão, os argentinos a veem ao lado da líder histórica. Durante meses, quando Cristina proferia discursos duros, a maquete era virada do lado que mostrava Evita discursando furiosa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.