Com base militar dos EUA, apoio ao primeiro-ministro do Japão desaba

Jornal de economia, Nikkei, indica que 63% dos japoneses acreditam que seu premiê deve renunciar

Efe,

31 Maio 2010 | 04h22

TÓQUIO - A popularidade do primeiro-ministro japonês, Yukio Hatoyama, ficou em 17%, após sua decisão de manter em Okinawa uma polêmica base militar dos Estados Unidos, segundo a última pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 31, pelo jornal Asahi Shimbun.

O acordo anunciado na sexta-feira pelo Japão e EUA, após oito meses de deliberações, é quase idêntico ao que estava em vigor desde 2006, que estabelece a mudança da base de Futenma para uma região menos povoada de Okinawa, mas dentro dessa mesma ilha japonesa, contra o prometido por Hatoyama em sua campanha eleitoral.

Várias pesquisas divulgadas nesta segunda-feira mostram que a popularidade de Hatoyama, eleito no final de agosto com maioria absoluta, está muito baixa.

Uma pesquisa do jornal econômico Nikkei indica que 63% dos japoneses acreditam que seu premiê deveria renunciar, por causa do mau manejo do assunto de Futenma, quando também crescem as vozes críticas dentro de seu próprio partido, o Democrático (PD).

Azuma Koshiishi, número três do PD, disse este domingo que "a situação é grave" e que "o partido deve tomar decisões adequadas". Segundo a enquete do "Asahi Shimbun", 70% dos consultados desaprovam a gestão de Hatoyama, enquanto,em outra pesquisa do jornal "Mainichi" divulgada hoje, 58% opinam que o chefe de Governo deveria renunciar por causa de Futenma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.