Kevin Lamarque/Reuters
Kevin Lamarque/Reuters

Com câncer, McCain retorna ao Senado dos EUA para votar contra Obamacare

Voto do senador pode decidir abertura de debate que vai tentar revogar a reforma de saúde proposta por Obama

AP, O Estado de S.Paulo

25 Julho 2017 | 02h02

WASHINGTON – Afastado das atividades para tratamento de um câncer no cérebro, o republicano John McCain, de 80 anos, anunciou que retornará ao Senado nesta terça-feira, 25, para tentar auxiliar o partido na derrubada do Obamacare. A situação é noticiada com drama e simbolismo pela imprensa norte-americana, dias após o político ser diagnosticado com a doença. O voto dele pode decidir a abertura de um novo debate dos parlamentares sobre a legislação de saúde proposta pelo ex-presidente Barack Obama.

"O senador McCain está ansioso para retornar ao Senado dos EUA amanhã para continuar trabalhando em leis importantes, incluindo a reforma da saúde, a Lei de Autorização da Defesa Nacional e novas sanções contra Rússia, Irã e Coreia do Norte", disse sua equipe em um comunicado.

McCain, que em 2008 foi derrotado por Obama na disputa pela presidência, fez forte campanha no ano passado contra o Obamacare, ao ser eleito para o sexto mandato como senador. Ele pode ser responsável por uma vitória importante para o atual presidente, Donald Trump, apesar de ser um de seus principais críticos dentro do Partido Republicano. Na campanha à presidência do ano passado, Trump ridicularizou a história de McCain como prisioneiro de guerra durante o conflito do país contra o Vietnã. 

Em cenário similar, em 2008, o ex-senador democrata Ted Kennedy, amigo pessoal de McCain, voltou ao Senado enquanto tratava um câncer no cérebro para apoiar votação relacionada ao Medicare, o seguro de saúde oferecido pelo governo. A doença provocou a morte dele em 2009. / AP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.