AP
AP

Com festa, Zuma assume a Presidência da África do Sul

Polígamo, Jacob Zuma escolheu a mulher mais velha para primeira-dama e prometeu realizar os sonhos do povo

Associated Press,

09 de maio de 2009 | 21h49

Jacob Zuma tornou-se presidente da África do Sul neste sábado, se comprometendo a realizar os sonhos de todos os sul-africanos, depois de ter superado a corrupção e escândalos sexuais para atingir o maior posto da nação.

 

Dezenas de milhares de pessoas foram dar sua aprovação à posse de Zuma, cuja popularidade é rivalizada apenas com a de Nelson Mandela. "Os sonhos e esperanças de todas as pessoas de nosso país têm que ser realizados. Não há lugar para complacência, cinismo ou desculpas", disse ele.

 

O quarto presidente da África do Sul desde que o apartheid terminou, 15 anos atrás, está acostumado a lutar. Zuma, 67 anos, é um ex-guerrilheiro e chefe da inteligência do partido Congresso Nacional Africano (CNA) que já sobreviveu à corrupção, escândalos sexuais e uma luta interna de poder no partido. O CNA venceu as eleições parlamentares no mês passado e Zuma foi eleito presidente pelo parlamento na quarta-feira.

 

A população mais humilde da África do Sul acredita que as batalhas pessoais de Zuma o inspiram a lutar também a favor dos problemas e aspirações das pessoas. Zuma disse, neste sábado, aos sul-africanos que "fiquem certos de que as lutas e sacrifícios de nosso povo durante muitas décadas não foram em vão".

 

Zuma agora governa um país onde pelo menos um quarto da força de trabalho está desempregada e onde mil pessoas morrem de Aids todos os dias. Ele está prometendo acelerar a entrega de casas, clínicas, escolas, água e eletricidade. Mas ele também tem consciência das dificuldades surgidas com a crise econômica.

 

De acordo com dados do governo sul-africano divulgados nesta semana, 208 mil empregos foram eliminados entre o último trimestre de 2008 e o primeiro trimestre de 2009.

 

O novo presidente chegou à posse acompanhado de sua esposa mais velha, Sizakele Khumalo. A poligamia de Zuma criou dúvida a respeito de qual das três atuais esposas irá atuar como primeira dama. Ao chegar no palanque, Zuma se ajoelhou aos pés de Nelson Mandela, em sinal de respeito.

 

Sydney Mokoena, um professor de 48 anos, presente à posse, disse que admira Zuma pela calma mostrada durante suas batalhas legais contra alegações de corrupção, que foram retiradas, e um julgamento sobre estupro, que terminou em acordo. Para Mokoena, Zuma tem os pés no chão e vai ouvir as demandas da população.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.