Com margem apertada, social-democracia deve voltar ao poder na Áustria

Apurações preliminares apontam uma vitória apertada da oposição austríaca nas eleições gerais deste domingo. Por uma margem de apenas 1,5 ponto percentual, o Partido Social Democrata teria derrotado a coalizão de centro-direita do chanceler Wolfgang Schuessel, marcando um retorno ao poder da centro-esquerda na Áustria. O resultado ainda não tem caráter definitivo.Segundo o ministro do Interior austríaco, Liese Prokop, o Partido Social Democrata deve vencer as eleições com 35,7% dos votos, enquanto o Partido do Povo, de Schuessel, obteve 34,2% do total. Os números foram anunciados após a contagem de todos os sufrágios, com exceção dos votos em branco.Caso o resultado seja confirmado, o líder social-democrata Alfred Gusenbauer deve se tornar o novo chanceler do país.Embora Schuessel ainda não tenha admitido a derrota, ele parabenizou Gusenbauer, cujo partido mantinha-se na oposição desde 2000, quando saiu do governo após mais de três décadas de hegemonia."Somos um país democrático", disse Schuessel.Comemorações cautelosasGusenbauer, por sua vez, evitou comemorar a vitória antecipadamente, dizendo que esperaria até que todos os votos fossem contados. Segundo Christoph Hofinger, o co-diretor de um instituto de pesquisa que calculou as previsões da votação para uma rede de TV austríaca, cerca de 250 mil votos válidos em branco ainda precisariam ser somados ao total dos votos válidos, o que poderá ser feito até o dia 9 de outubro. "Eu sempre insisti que haveria uma surpresa no domingo", disse Hofinger referindo-se às apostas de que o partido do governo triunfaria. "Os austríacos sabem que somos uma nação rica e bem estabelecida, mas sabem também que (essa riqueza) não está distribuída de forma justa."A atual coalizão governista é formada pelo Partido do Povo, de Schuessel, e a Aliança para o Futuro da Áustria, fundada pelo ultradireitista Joerg Haider, ex-líder do Partido da Liberdade.O presidente Heinz Fischer disse que convocará os líderes dos partidos na próxima terça-feira. Ainda não está claro, no entanto, quando ele pedirá ao vencedor para formar um novo governo.A terceira força mais bem posicionado no pleito foi o direitista Partido da Liberdade, que contou com 11,2% dos votos. O grupo elegeu-se com uma plataforma anti-estrangeiros. Em quarto e quinto lugar vieram os Verdes, com 10,5% do total, e a Aliança para a Liberdade da Áustria, com 4,2% dos votos.Texto ampliado às 19h20

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.