Com novo plano de segurança, Bagdá registra 31 mortes

Um novo plano anunciado pelo presidente George W. Bush como a última chance para acabar com o derramamento de sangue em Bagdá começou a ser colocado em prática nesta segunda-feira, com a indicação do general iraquiano Abboud Gambar como chefe das operações de segurança na capital. Ainda assim, a violência continuou nesta segunda-feira, quando ao menos 31 mortes foram registradas em explosões que atingiram a cidade e outras áreas do país.Anunciado com estardalhaço pelo presidente americano, George W. Bush, o novo plano de segurança deverá contar com 90 mil soldados americanos e iraquianas com o objetivo de trazer paz ao Iraque.Os primeiros passos do plano, entretanto, não diminuíram a onda de violência em Bagdá, onde um carro e um caminhão-bomba explodiram e deixaram pelo menos 31 civis mortos e outros 60 feridos, segundo fontes do Ministério do Interior iraquiano O primeiro carro-bomba explodiu em um estacionamento no bairro de Al-Nahda, no leste da capital. Nove veículos foram danificados pela explosão, que teve como alvo um estacionamento dos microônibus que ligam a capital com os povoados xiitas do sul.No outro ataque, um caminhão-bomba explodiu perto de um posto de gasolina no bairro de Al-Saidiya. O caminhão havia sido abandonado por um homem. A detonação causou graves danos aos veículos que esperavam abastecimento no posto de gasolina.Esse foi o segundo caminhão-bomba a ser detonado na capital nos últimos três dias, depois do que explodiu no sábado em um mercado de Sadriya (centro) e que deixou 131 mortos, no atentado mais sangrento dos últimos meses.As forças multinacionais no Iraque anunciaram ainda nesta segunda-feira a morte de três insurgentes e a detenção de outros 23 - entre eles supostos dirigentes da Al-Qaeda - em várias batidas em diferentes partes do país.Os três insurgentes morreram perto da fronteira com a Síria, onde as topas dos EUA detiveram outros 13, segundo um comunicado.Além disso, segundo a nota, dois dirigentes da Al-Qaeda foram capturados nas últimas horas - um na cidade de Mossul (400 km ao norte de Bagdá) e outro em Baquba, capital da província de Diyala -, após uma batida americana.Quatro suspeitos de pertencer a grupos armados foram detidos na cidade de Karma (30 km ao oeste de Bagdá) e outros quatro foram presos na capital.Essas detenções foram feitas dois dias depois do atentado mais sangrento dos últimos meses em Bagdá, perpetrado por um suicida que explodiu um caminhão-bomba no meio de um mercado popular do centro da capital.O plano de segurança, que conta com as tropas adicionais anunciadas pelo presidente americano, George W. Bush, é visto como a última chance para tentar acabar com a violência em Bagdá e nas regiões vizinhas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.