REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Com pai punido na Revolução Cultural de Mao, Xi reescreve a história da China comunista

Xi Zhongxun foi um comandante da Revolução Chinesa e ajudou a fundar o enclave que protegeu Mao e suas forças dos nacionalistas durante a guerra civil; anos depois, passou a ser perseguido pelo histórico líder

Chris Buckley, The New York Times, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2021 | 05h00
Atualizado 12 de novembro de 2021 | 09h41

A devoção de Xi Jinping em defender a herança histórica do Partido Comunista Chinês tem componentes bastante pessoais. Em 2013, por exemplo, ao visitar uma antiga base de revolucionários comunistas, o líder chinês lembrou de como foi crescer “sob o manto vermelho de Mao Tsé-tung”. 

Seu pai, Xi Zhongxun foi um comandante da Revolução Chinesa e ajudou a fundar o enclave que protegeu Mao e suas forças dos nacionalistas durante a guerra civil. Enquanto a juventude de Xi foi marcada pela ascensão do pai dentro do partido depois que os comunistas chegaram ao poder em 1949, sua vida adulta foi marcada pela queda de Zhongxun em 1962, quando ele passou a ser perseguido pelo histórico líder comunista.

Sem evidência alguma, Mao acreditava que o pai de Xi era o responsável por uma publicação literária que indiretamente atacava suas políticas. Quando o velho líder lançou sua revolução cultural, em 1966, ele incentivou militantes estudantis – os guardas vermelhos – a atacar burocratas suspeitos de traí-lo, entre eles Xi Zhongxun.

O pai de Xi foi parado num veículo e brutalmente interrogado, acusado de ser espião de inimigos externos da China.  Xi Zhongxun ficou preso por anos enquanto Xi foi enviado para trabalhar com os camponeses pobres do interior da China, assim como milhões de outros chineses de sua geração. 

Mas, ao contrário de muitos filhos de burocratas do PC perseguidos por Mao, que se desiludiram com o poder, Xi permaneceu comprometido com o partido.

Ascendeu como líder comunitário na zona rural do país e tentou por nove vezes entrar na burocracia do PC. Na décima tentativa, conseguiu. Sua ascensão nas décadas seguintes o levaram a líder municipal e provincial. “Mesmo quando as pessoas nos ofendiam, eu permaneci convencido de que meu pai era um herói”,  Xi escreveu a seu pai, já doente, em 2001, segundo a biografia oficial de Zhongxun. “Você é o filho dos camponeses, um camarada de armas e ama o povo chinês e a revolução."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.