Com passaporte negado, opositor falta a reunião com Mugabe

Encontro na Suazilândia buscava resolução do impasse para formação de um governo de unidade no Zimbábue

Efe,

20 de outubro de 2008 | 14h18

O líder do Movimento para a Mudança Democrática (MDC), Morgan Tsvangirai, principal político de oposição do Zimbábue, não compareceu nesta segunda-feira, 20, à reunião da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), na Suazilândia, para negociações de um governo de unidade no país porque o presidente zimbabuano, Robert Mugabe, lhe negou a concessão de um passaporte.   Veja também: Negociações fracassam no Zimbábue   Mugabe pôde passar pela África do Sul e chegou à reunião acompanhado pelos porta-vozes da governamental União Nacional Africana do Zimbábue-Frente Patriótica (Zanu-PF), Patrick Chinamasa e Nicholas Goche.   A Zanu-PF e o MDC mantiveram negociações por mais de um mês para determinar de que ministérios se encarregaria cada partido, mas as partes ainda não conseguiram chegar a um acordo, motivo pelo qual a SADC se viu forçada a intervir.   Embora Tsvangirai não tenha ido ao encontro, o líder da facção minoritária do MDC, Arthur Mutambara, viajou para a Suazilândia e estará em Mbabane, a capital do país, "pouco antes do início da reunião", informou o jornal governamental zimbabuano The Herald.   Além disso, o ex-presidente da África do Sul, Thabo Mbeki, participará do encontro como mediador do acordo assinado por MDC e Zanu-PF em 15 de setembro, assim como o atual presidente sul-africano, Kgalema Mothlante, como titular de turno da SADC.   A Suazilândia forma, com Moçambique e Angola, o painel de Assuntos de Segurança da SADC, que propicia as atuais negociações no Zimbábue, embora Tsvangirai tenha pedido publicamente a intervenção no conflito da União Africana.

Tudo o que sabemos sobre:
Zimbábue

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.