Com popularidade em queda, Piñera reforma ministério

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, anunciou uma reforma ministerial hoje, em meio a uma queda forte em seus índices de aprovação nas pesquisas de opinião pública e diante de protestos diários de estudantes e professores por uma reforma no sistema de ensino.

RENATO MARTINS, Agência Estado

18 de julho de 2011 | 15h38

O ministro das Finanças, Felipe Larraín, permanecerá no cargo. O senador conservador Pablo Longueira assumirá o Ministério da Economia, no lugar de Juan Andrés Fontaine. O atual ministro da Justiça, Felipe Bulnes, vai assumir a pasta da Educação.

Laurence Golborne, atual ministro de Minas e de Energia, passará a ser o ministro das Obras Públicas, no lugar de Hernán de Solminihac, que será o novo ministro de Minas; Fernando Echeverría, atual responsável pela região metropolitana de Santiago, assume a pasta de Energia. O senador conservador Andrés Chadwick passará a ser o porta-voz do governo, no lugar de Ena von Baer.

Segundo o instituto de pesquisas Adimark GfK, a taxa de aprovação do governo Piñera caiu para a mínima de 31% em julho, de 36% em maio e 63% em outubro do ano passado. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.