Com vitória quase garantida, McCain já pensa no vice

Apesar das vitórias de Huckabee em Kansas e Louisiana, só um milagre daria a ele a nomeação republicana

Washington, O Estadao de S.Paulo

11 de fevereiro de 2008 | 00h00

O ex-governador do Arkansas Mike Huckabee surpreendeu nas prévias do fim de semana ao vencer a votação nos Estados de Kansas e Louisiana. Apesar das vitórias, é quase impossível que Huckabee consiga reverter a vantagem do senador John McCain, que já pensa em um companheiro de chapa para as eleições de novembro.A maior dúvida agora na corrida republicana é saber quando Huckabee jogará a toalha e quem McCain escolherá como vice de sua chapa. Analistas acreditam que Huckabee só continua na disputa porque ele quer superar o número de delegados do ex-governador de Massachusetts Mitt Romney, que abandonou a corrida na quinta-feira, e aumentar seu poder para reivindicar o posto de vice ao lado de McCain.Apesar da relação cordial entre Huckabee e McCain - que nunca desferiram ataques pesados um contra o outro durante a campanha -, a maioria acredita que o senador deva escolher alguém mais atraente para ser seu companheiro de chapa. O favorito do momento é o governador da Flórida, Charlie Crist, que já apóia a campanha de McCain e poderia atrair o voto importantíssimo dos eleitores da Flórida para os republicanos.Fontes de dentro da campanha de McCain dizem que o senador também pensa em Mark Stanford, governador da Carolina do Sul e um conservador de carteirinha, ou em Tim Pawlenty, governador de Minnesota e um velho amigo.QUASE LÁ Nas primárias de sábado, Huckabee foi ajudado pela desistência de Romney, que dividia com ele o voto conservador, e pela rejeição de muitos republicanos ao nome do senador McCain, considerado liberal demais para as tradições do partido.Com a saída de Romney, que tinha 285 delegados, McCain praticamente garantiu a nomeação republicana. Analistas afirmam que só um milagre faria Huckabee, que após a noite de ontem soma 234 delegados, ultrapassar o senador, que já conquistou 724 delegados.A regra do jogo no campo republicano dá ao vencedor das prévias em um determinado Estado todos os delegados desse Estado. Mas em alguns poucos Estados, a distribuição de delegados é proporcional, como no lado democrata. Assim, mesmo que perca todas as primárias e caucuses daqui para frente, McCain ainda faria alguns delegados nos Estados onde a distribuição é proporcional, como aconteceu no sábado em Washington - McCain (26%), Huckabee (24%) e Ron Paul (21%) dividiram os 40 delegados do Estado.MILAGRE"Eu não sou bom em matemática, mas entendo de milagres. E eu ainda acredito neles." Foi assim que Huckabee, que é pastor batista - uma denominação tradicional evangélica -, dirigiu-se a uma multidão em Maryland, no sábado, após saber de sua vitória em Kansas. Ele obteve 60% dos votos, enquanto McCain ficou atrás, com 24%.Em Louisiana, mais um milagre. A vitória, no entanto, foi bem apertada. Huckabee obteve 44% dos votos e McCain, 42%. Segundo as regras do Partido Republicano de Louisiana, o ganhador no Estado leva todos os delegados, mas só no caso de haver um vencedor por maioria simples. Como ninguém conseguiu mais de 50% dos votos, 20 dos 47 delegados de Louisiana serão escolhidos apenas na convenção estadual no fim de semana que vem.CONSERVADOR?O péssimo desempenho de McCain, incluindo a vitória apertada no Estado de Washington, mostrou que o senador terá muito trabalho para conquistar a confiança dos eleitores conservadores, que são a alma do Partido Republicano.Aos poucos, porém, os conservadores vão se rendendo à candidatura de McCain como fato consumado. No sábado, o senador recebeu o apoio de dois pesos pesados: John Bolton, ex-embaixador dos EUA na ONU no governo Bush, e Fred Thompson, o popular ator do seriado Law & Order que também foi pré-candidato, mas abandonou a corrida em janeiro por causa da péssima votação que obteve. NYT, REUTERS E AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.