Comandante da Marinha japonesa é destituído de seu cargo

Ishiba tomou estas decisões com a intenção de recuperar a confiança da população

EFE,

21 de março de 2008 | 01h46

O ministro da Defesa do Japão, Shigeru Ishiba, destituiu nesta sexta-feira o chefe das Forças Marítimas de Autodefesa e impôs castigos para outros 80 funcionários por causa de uma polêmica colisão entre um moderno destróier e um barco pesqueiro. Segundo informou a agência local de notícias "Kyodo", Ishiba tomou estas decisões com a intenção de recuperar a confiança da população após uma série de incidentes nos quais se envolveram navios da Armada . O ministro da Defesa destituiu de seu cargo Eiji Yoshikawa como chefe da Marinha, e designou o comandante Keiji Akahoshi como seu sucessor. A imagem do Ministério de Defesa japonês foi se deteriorando nos últimos meses, especialmente após a colisão no dia 19 de fevereiro no Oceano Pacífico entre um destróier da classe "Atago", dotado com o sistema de defesa Aegis, e um barco pesqueiro, cujos dois ocupantes desapareceram.

Tudo o que sabemos sobre:
japão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.